A simbiose de números, letras, poesia, narrativa e uma tocante referência ao que existe de mais profundo na essência humana é o que nos desperta a leitura de Trama e Urdidura de Jorge Xerxes, escritor que sabe preencher suas obras – sendo esta a terceira – com áreas de conhecimento distintas, unindo-as, como se elas jamais tivessem sido, drasticamente separadas para uma compreensão mais apurada – e facilitada – das mesmas. O universo reverbera na presente obra e em cada estranha correspondênciaencontra-se o notório revisitado sob o viés do infinitamente incomum.

É fascinante entrar em contato com uma obra contemporânea profusa de inovação, contudo, sem apresentar-se destituída do estilo incrível da escrita bem feita: a escrita que faz a alma do leitor vagar em identificações e também em surpresas, as quais o permitem adentrar e vislumbrar conhecimentos outrora nem mesmo imaginados. E tudo isso é exposto através de textos – tanto em prosa como em verso – carregados de um cotidiano pertencente a todos, porém, explicitados e enaltecidos de forma visceralmente única: o tear urdindo a trama de situações comuns de maneira inusitada.

Trecho extraído do prefácio de Fernanda Barros

http://frbarros85.blogspot.com.br/

Anúncios

Um livro

julho 3, 2012

um livro é como uma garrafa,

lançada ao mar,

com uma mensagem dentro:

(um pedido de socorro)

um grão de esperança