Livro na íntegra publicado originalmente em 2015.

Abaixo os arquivos para o download gratuito:

livro_jorge_xerxes_jornada_rumo_ao_sol

Anúncios

    

Os arquivos abaixo apresentam a capa e o miolo do livro ‘Trama e Urdidura’, em versão PDF gratuita para o download. Este é o terceiro livro de Jorge Xerxes, lançado originalmente em novembro de 2012.

   

Estou disponibilizando a versão digital de ‘Trama e Urdidura’ em comemoração aos dez anos do blog ‘Palavras Órfãs de Poesia: O que Restou’, que serão completos em breve, daqui a exatamente um mês, no próximo dia 03 de dezembro.

   

Boa Diversão!

   

capa_jorge xerxes_trama_e_urdidura

livro_jorge xerxes_trama_e_urdidura

 

4n07h3r 8r1ck 1n 7h3 w4ll

setembro 9, 2018

 

INTRODUÇÃO

   

Sempre tive curiosidade em entender o mecanismo por detrás das redes sociais, como por exemplo o Facebook. Este interesse está especialmente ligado a real capacidade para a divulgação de ideias, sob o ponto de vista de quem as divulga; também a atenção na leitura e a capacidade de entendimento, da parte de quem recebe a informação.

   

Para isso, tive de bolar um procedimento simples, mas que me permitisse extrair resultados conclusivos; isto é, valendo-se de uma metodologia científica. Este procedimento, ou experimento, deve ser, necessariamente, um estímulo neutro, o que significa que não deve atrair a atenção do leitor, através do mecanismo de recompensa da resposta, devendo ser tão imparcial quanto possível.

   

O melhor que eu pude conceber foi o que chamei de Experimento Animal Mineral Vegetal, uma simples postagem, tão neutra quanto possível, onde é pedido unicamente que a pessoa se manifeste no comentário, descrevendo o nome de uma espécie dentre essas categorias. Dessa forma, imagino que ninguém é impelido a participar almejando uma recompensa, sendo motivado unicamente pela leitura, solidariedade e empatia.

   

EXPERIMENTO ANIMAL MINERAL VEGETAL

   

Postagem publicada no Facebook no dia 09 de setembro de 2018 às 22h55m:

   

“Estou desenvolvendo um experimento científico sobre redes sociais, atenção e divulgação de ideias. Não posso revelar além do que será descrito abaixo para não descaracterizar o experimento.

   

Se você puder participar, peço que, por favor, escreva o nome de um animal, de um mineral ou de um vegetal no campo de comentário. Apenas um nome por pessoa, podendo ser simples ou composto, de vegetal, mineral ou animal. Não se preocupe se o nome que você escolheu já foi escrito por outra pessoa. Pode haver repetição. Você tem total liberdade de escolha.

   

Peço também que você, por favor, não clique nos botões de curtir esta postagem ou qualquer um dos nomes nos comentários. Obrigado pela sua atenção e participação.”

   

RESULTADO

   

Comentários e curtidas em ordem cronológica dos eventos:

   

1 Gerbil (animal)

2 Fuinha (animal)

3 Capivara (animal)

4 Gabirú (animal)

5 Cajueiro (vegetal)

6 Cachorro (animal)

Total de Curtidas = 1 (outro) – 9h de experimento

7 Cipreste (vegetal)

8 Cavalo (animal)

9 Opala (mineral)

10 Liz (vegetal)

11 Mais um tijolo na parede (mineral)

12 Água (mineral)

13 Couve-romanesco (vegetal)

14 Lontra (animal)

15 Ipê (vegetal)

16 Hiena (animal)

17 Beterraba (vegetal)

18 Gato (animal)

Total de Curtidas = 4 (outro) – 15h de experimento

19 Coelho (animal)

20 Turmalina (mineral)

21 Cachorro do mato (animal)

22 Tubarão (animal)

Total de Curtidas = 4 (outro) – 18h de experimento

23 Jandáia (animal)

24 Bolsonaro (animal)

25 Águia (animal)

26 Cachorro (animal)

27 Nabo (vegetal)

28 Dragão (animal)

29 Alface (vegetal)

Total de Curtidas = 5 (outro) – 24h de experimento

30 Guaxinim (animal)

31 Nióbio (mineral)

32 Abacate (vegetal)

33 Cristal (mineral)

34 Abelha (animal)

35 Homo sapiens (animal)

Total de Curtidas = 5 (outro) – 1dia + 10h de experimento

36 Orquídeas (vegetal)

Total de Curtidas = 6 (outro) – 1dia + 14h de experimento

37 Abóbora (vegetal)

38 Olho de tigre (mineral)

Total de Curtidas = 6 (outro) – 2dias de experimento

Total de Curtidas = 6 (outro) – 2dias + 12h de experimento

Total de Curtidas = 6 (outro) – 2dias + 19h de experimento

Total de Curtidas = 6 (outro) – 3dias de experimento

FIM (critério de parada: 24h ou mais sem evolução)

 

   

CONCLUSÃO

   

A partir da análise dos resultados, observa-se que houveram 44 manifestações; sendo 38 comentários com nomes de animais, minerais ou vegetais (como solicitado pela postagem original) e 6 curtidas (manifestações indevidas).

   

Foi considerado como critério de parada, ou fim do experimento, o intervalo de tempo de 24h sem que houvessem novas manifestações. A duração total do experimento foi, portanto, de 72h (ou 3 dias).

   

Essas 44 manifestações foram, sem dúvida, motivadas pura e simplesmente por solidariedade ou empatia, uma vez que se tratava de um estímulo neutro; isto é, não há nenhuma recompensa em ler o texto de três parágrafos que descreve o experimento e manifestar-se descrevendo o nome de um animal, mineral ou vegetal. As pessoas que o fizeram, responderam espontaneamente, por solidariedade ou empatia.

   

Fica evidente também que 6 dessas 44 pessoas que interagiram sequer leram os três parágrafos, visto que se manifestaram indevidamente, curtindo a postagem. Estava explícito no texto do experimento que não era para fazer isso. Apesar dos propósitos de divulgação da ideia e de atenção não terem sido atingidos no caso dessas 6 curtidas, ainda assim me parece certo que as pessoas se manifestaram por solidariedade ou empatia também nesses casos.

   

Finalmente, o dado mais estarrecedor, certamente é o de que, dentre 1344 contatos no Facebook, apenas 44 pessoas se manifestaram. Isso porque, apesar de se tratar de um estímulo neutro, o texto originalmente postado descrevendo o experimento solicitava o favor de que as pessoas participassem. Esses contatos se omitiram por uma das três razões: (1) não terem tido a oportunidade de ler a postagem; (2) terem sumariamente desconsiderado a postagem; ou (3) não terem se solidarizado com o pedido.

   

Independente disso, fica demonstrado que, ao menos no meu caso, o alcance efetivo de uma postagem no Facebook gira em torno de 3.3% do número total de contatos apenas. Vale para a reflexão antes de perder tempo significativo com a postagem em redes sociais!

   

          

ecneV erpmeS romA O

Jorge Xerxes Short Bio

junho 23, 2018

           

Jorge Xerxes – heterônimo de Alessandro Teixeira Neto – é pisciano; nascido no ano de 1971. Natural de São João da Boa Vista, SP; “cresci ao pé da serra da Mantiqueira; por entre trilhas e cachoeiras; sempre em rota de colisão àquele verde inconcebível”.

                   

Estudou por pouco mais de dez anos na Unicamp; “tinha o meu próprio ritmo de assimilar as coisas” diz com um sorriso enigmático no canto da boca. Interessa-se por tudo aquilo que nos passa desapercebido; “gosto de escrever sobre as coisas pequenas”.

            

Mantém o sítio “Palavras Órfãs de Poesia: O que Restou”, desde 03 de Dezembro de 2008. https://jorgexerxes.wordpress.com/

         

Publicou: (a) “As Cinquenta Primeiras Criaturas”, Livro de Contos e Poesias, 150 pp, Editora Multifoco, ISBN: 978-85-7961-109-4, (2010). (b) “Para Pescar a Lua”, Livro de Contos e Poesias, 138 pp, Ryoki Inoue Produções, ISBN: 978-85-63427-09-0, (2011). (c) “Trama e Urdidura”; Livro de Contos, Crônicas e Poesias; 156pp; Scortecci Editora; ISBN: 978-85-366-2764-9; (2012). (d) “Jornada Rumo ao Sol”; Livro de Contos e Poesias; 132pp; Scortecci Editora; ISBN: 978-85-366-4181-2; (2015).

              

Para Adquirir As Obras :: https://jorgexerxes.wordpress.com/about/

                 

 

<< Intro >>

deixe suas roupas

esqueça o que você já sabe

seu medo

jogue-o para o alto

seus pensamentos devem ser colocados no bolso da calça

a calça no cesto

para lavar

erradicar os maus pensamentos

ponha um chapéu a sua frente

sapato à esquerda

você no meio

agora tome em uma das mãos o coração

e o que restou

no meio ainda há você

e a seu lado

tudo pode ser você

sapato à esquerda

seu medo

jogue-o para o alto

 

Jorge Xerxes mantém o blog “Palavras Órfãs de Poesia: O que Restou”, desde Dezembro de 2008.

“O Livro Do Que”, o seu quinto livro, está disponível no link abaixo em versão pdf livre para o download.

O_Livro_Do_Que

Jorge Xerxes publicou também:

“As Cinquenta Primeiras Criaturas”, Livro de Contos e Poesias, 150pp, Editora Multifoco, ISBN: 978-85-7961-109-4, (2010).

“Para Pescar a Lua”, Livro de Contos e Poesias, 138pp, Ryoki Inoue Produções, ISBN: 978-85-63427-09-0, (2011).

“Trama e Urdidura”; Livro de Contos, Crônicas e Poesias; 156pp; Scortecci Editora; ISBN: 978-85-366-2764-9; (2012).

“Jornada Rumo ao Sol”; Livro de Contos e Poesias; 132pp; Scortecci Editora; ISBN: 978-85-366-4181-2; (2015).

 

1d3n717y / 1d3n71d4d3

outubro 27, 2017

  

<< 1d3n717y >>

    

pr373nd1n9 70 83

50m380dy 3l53

5uch 4 hu93 w4573

0f y0ur53lf

   

   

<< 1d3n71d4d3 >>

   

f1n91r 53r

qu3m n40 53 3

qu3 d35p3rd1c10 3n0rm3

d3 51 m35m0

   

You Can Download the PDF File Below::

vimana_jorge_xerxes

O Livro Do Que

maio 18, 2017

             

Foi lançado ontem, 17 de Maio de 2017, pela Amazon “O Livro Do Que”.

             

“O Livro Do Que” é o quinto livro de Jorge Xerxes. O primeiro publicado exclusivamente em versão digital. Sessenta e seis páginas do que há de melhor na imaginação e na fantasia em prosa, poesia e imagem deste autor inventivo.

              

https://www.amazon.com.br/dp/B0716Z3TC8/ref=sr_1_1?ie=UTF8&qid=1495095622&sr=8-1&keywords=jorge+xerxes

              

Contra a parede

julho 18, 2016

contra_a_parede_jorge_xerxes

 

 

Por que não vou ser direta? É coisa que não devo fazer no calor do momento. Passa pela minha própria compreensão a ideia de que você está aí, do outro lado, e não cabe senão a si mesmo desfraldar este véu de delicadas filigranas que nos separa. É desejo seu o auto-engano, como forma de identificar-se consigo mesmo, este a quem ama aos pedaços, para só depois descobrir os próprios meandros da consciência (e também a falta que dela a clareza nos faz agora). Eu vou me esforçar para, gradualmente, deixar de ser hermética, prolixa, na medida em que você vem desvendando os meus mistérios pela laboriosa experiência do tato. Estes simples signos que ora esparramam-se frente as tuas vistas mais parecem um deserto. Leia novamente e perceberás que trocaram de lugar algumas dunas. Ainda assim, você insiste em querer apreender da minha areia mais do que consegue carregar dela (enquanto um só grão bastaria). São as simetrias, as reflexões e os arranjos a entorpecerem os teus sentidos. E você, fazendo deles escravos de mim mesma, quando era para reverberarem num uníssono, despertando em oásis, flor, vitória-régia e água cristalina. Não sou eu quem vai terminar com isso, é você quem vai botar o ponto final – quando este for imprescindível e não houver sombra de dúvida a rigidez do seu pinto. O mesmo que agora é vela de derreter a minha boceta. Entre a grafia de uma única letra em caixa-alta e o fim da sentença: casa de tudo aquilo que vale a pena. É arte milenar de juntar os abismos, cujo vão você ainda não pode vencer de um único salto. Vai e vem descabido. Agora você já pode clamar a minha loucura. Dos meus sonhos restaram a maquiagem borrada, as marcas roxas no pescoço, o cabelo desgrenhado, o mais puro devaneio. Novamente dou linha à imaginação para que flutues, tento te elevar ao sétimo céu da minha gruta, mas você resiste. Ah, sina de criança a brincar empinando sua pipa! O sopro que te levanta é o mesmo que me imprensa. Aceita, meu amigo, humildemente a ideia de que você mesmo está deserto, e posso ser eu este seu oásis. Para constatar, enfim, a resposta a tua pergunta. Aquela que você mesmo se fez tímido, enquanto sussurrava ao meu ouvido: Posso fazer amor contigo?

          

              

Nota: Prosa submetida ao 24º Concurso de Prosa e Poesia da Academia de Letras de São João da Boa Vista sob o pseudônimo de Andréa Beltrão.