Esquinas da lua

dezembro 8, 2010

– poesia espacial

Assim como havia sido antes

O planeta contribui com energias telúricas

As estrelas, em contrapartida,

Com a radiação eletromagnética

E a energia luminosa

A outra parte está no que as estrelas

Representam para a gente

Nas percepções intangíveis

Que nos impulsionam a seguir adiante

Por isso seremos eternamente gratos às estrelas

Nos levam daqui até elas num piscar de olhos

Donde é possível compreender

E contemplar tudo

Lá do alto

Esquinas da lua

As estrelas, tão distantes,

Servem de suporte às pontes imaginárias

Um dia havemos de construí-las

Pois se as estrelas existem

E nós insistimos em existir

Compartilhamos dos mesmos sonhos

Elas querem estar conosco

Assim como nós queremos estar junto delas

Anúncios