a_semelhanca_das_estrelas_jorge_xerxes

O quotidiano esvazia as expectativas do mágico.

Repousa no condicionamento as potencialidades da vigília.

Desperta do sonho!

O sábio se vale tanto dos dias quanto das noites,

na mesma medida.

Cada grão da ampulheta abandona a inércia para o próprio movimento.

Faz valer o fluxo de energia que anima tua carne.

Usa das dobras do tempo para coser a realidade:

vibra as ideias na frequência de alumiar o breu

dos dias.

salertse sad açnahlemes À

.etion an

Almeja o efêmero da centelha,

não deixa as rochas inertes,

acumularem lodo.

.orpos mu é adiv A

Anúncios

2 momentos

junho 3, 2013

 2momentos_jorge_xerxes

14:59pm

 

O silêncio dessa tarde de sábado. O brilho do sol estático contra os velhos objetos deixados na varanda, até o avanço da ferrugem parece ceder. A fumaça de meu charuto não se mistura àquela do ar. Tal condição permeia as frestas das paredes e os alvéolos, já danificados, dos meus pulmões. Há espaço e energia para uma ficção nuclear; entretanto, nada acontece. Nenhuma ideia, nenhum movimento. O gato mira seus olhos verdes fixamente de encontro aos meus. Trago lenta e profundamente do charuto, mas a fumaça expelida é a mesma. Posso apostar que será idêntica a seguinte e, assim, sucessivamente, num análogo aos goles inter-calados de vinho tinto. O vazio, essa ausência, tudo aquilo que eu não quero. Sem nada ou ninguém a importa-se, o resultado da in(ad)equação: o que me resta. A completa solidão nos sonhos de infância, sem um sopro de amor por compartilhar. Encontro comigo mesmo nos olhos do gato. Ele vira a cara. Nem sei mais se eu quero viver.

 

12:35pm

 

Ela me abraça,

pele com pele

– ficç40 nuc134r.

p4u54 3 m0vim3n70..

0 9470 d3l4 r3p0u54

508r3 minh4 84rri94.