Trevo de 4 folhas

março 16, 2017

        

trevo de quatro folhas

vou abraçar teu corpo

peito contra peito, pele contra pele

beijar sua boca carnuda, suculenta

que eu devoro

9rudar com os meus dentes

ó lóbulo da tu4 orelha, esquerda

roçar 7ua nuca com a minha barba

morder o seu pescoço

depois be1já-lo

abraçando-a por trás

vou usar meus dedos,

a minh4 língua

e o meu pau

para penetrar os teus segredos

ouvir os teus gemidos

olhar fundo nos teus olhos

que é para você saber,

pra quem eu escrevi isso

nossos corpos fundem-se nos colos

enfim, um raio nos atinge

parece magia, mas não:

somos apenas nós dois

        

Anúncios

p03514 n4 p3l3

fevereiro 13, 2017

poesia_na_pele_jorge_xerxes

deeply inside your eyes

fevereiro 1, 2017

your_eyes_jorge_xerxes

estamos frente a frente

estamos frente a frente

frente a frente aos olhos castanhos dela

frente a frente aos olhos castanhos dele

esses olhos me trazem paz

esses olhos que me dão força

dentro deles eu observo a lua

dentro deles eu vejo o sol,

as estrelas, a beleza da noite

o céu azul, brisa, pássaros, luz

um jardim florido

posso sentir o perfume

a canção, posso ouvi-la perfeitamente

isso me ilumina

e eu me vejo refletido nos teus olhos

e eu me vejo dentro dos olhos teus

sou eu quem mora

sou eu que vivo

nessa paz

desse amor

         

        

estamos frente a frente

frente a frente aos olhos castanhos dela

esses olhos me trazem paz

dentro deles eu observo a lua

as estrelas, a beleza da noite

um jardim florido

posso sentir o perfume

e eu me vejo refletido nos teus olhos

sou eu quem mora

nessa paz

        

        

estamos frente a frente

frente a frente aos olhos castanhos dele

esses olhos que me dão força

dentro deles eu vejo o sol,

o céu azul, brisa, pássaros, luz

a canção, posso ouvi-la perfeitamente

isso me ilumina

e eu me vejo dentro dos olhos teus

sou eu que vivo

desse amor

        

trevo de quatro folhas

janeiro 5, 2017

2017_esperanca_e_fe

      

        

trevo de quatro folhas

vou abraçar teu corpo

peito contra peito, pele contra pele

beijar sua boca carnuda, suculenta

que eu devoro

9rudar com os meus dentes

ó lóbulo da tu4 orelha, esquerda

roçar 7ua nuca com a minha barba

morder o seu pescoço

depois be1já-lo

abraçando-a por trás

vou usar meus dedos,

a minh4 língua

e o meu pau

para penetrar os teus segredos

ouvir os teus gemidos

olhar fundo nos teus olhos

que é para você saber,

pra quem eu escrevi isso

nossos corpos fundem-se nos colos

enfim, um raio nos atinge

parece magia, mas não:

somos apenas nós dois

        

        

https://jorgexerxes.wordpress.com/

       

          

 

 

Onde está o amor?

dezembro 26, 2016

aquaman_jorge_xerxes

              

o amor está nas bolhinhas de gás

acelerando rápidas do fundo rumo a superfície.

mas o amor também está

se as bolhas inexistem.

o amor está no lento movimento de vaivém das plantas

– como se estivessem acenando.

ele está no vigor, no destemor e na velocidade da juventude.

ele está também quando as escamas caem

ou se alguém amanhece boiando,

com os olhos em xis.

o amor está no impulso para a subida,

no abocanhar do alimento

e no submergir.

o amor está quando o peixinho amarelo nada ao lado do verde,

mas ele também está se o peixinho amarelo

decide nadar ao lado de outro peixinho,

ele está também quando o peixinho verde nada só.

o amor está na nadadeira quebrada,

assim como está nos seixos que recobrem o fundo,

no reflexo da luz do sol sob a superfície,

quando visto de baixo,

ou no reflexo da luz do sol sobre a superfície,

se visto de cima.

o amor está quando não resta mais a esperança,

no grito inaudível da dor lancinante de um peixe.

mas ele está também no canto da sereia,

no tridente de Netuno,

na sunga do Aquaman.

É ridículo, é estranho, é um contrassenso não o percebermos

quando ele está em toda a parte.

É preciso lembrarmo-nos sempre que

fora dele

não existe o aquário.

                 

tatoo n4

novembro 26, 2016

tatoo_n4_jorge_xerxes

Eu Te Amo C.Q.D.

dezembro 11, 2015

cqd_jorge_xerxes

enquanto eu aguardo

o meu Coração bate devagar

ao ritmo da espera

a estante da sala

repleta de livros

explica-me de muitas diferentes formas

por diversos pontos de vista

e argumentos obtusos

que a vida é dura

e você vai demorar a chegar

porque deve ser assim

e ponto

nenhuma dessas respostas

no entanto

me satisfazem

e eu não desisto de buscar

a solução positiva

(porque eu Amo)

aquela que justifica o equilíbrio deste mundo

com as estrelas no céu

a órbita da Lua e aquela do Sol

o que eu posso demonstrar

por um mosaico de sístoles e diástoles

que eu compus no decorrer dos anos

a cada noite

encerrado comigo mesmo

apenas

 

Raios que o partam

julho 10, 2015

raios_que_o_partam_jorge_xerxes

A população atual do planeta Terra gira em torno de 7.3 bilhões de seres humanos – dados de Julho de 2015. E aumentando.

O demógrafo russo Sergey Kapitsa propôs uma equação para o crescimento populacional de 67 mil a.c. até o ano de 1965 d.c. Esta equação, desenvolvida a partir de uma função arco-cotangente, permite o cálculo do número de habitantes no planeta, dado o ano de interesse. Entretanto, a aproximação só é válida até o ano de 1965.

Uma estimativa da população total que já habitou este nosso planeta totaliza 107 bilhões de seres humanos segundo Carl Haub do Bureau de Referência Populacional.

O crescimento hiperbólico da população, correlacionado a um retorno não-linear positivo de segunda ordem entre o crescimento demográfico e o desenvolvimento tecnológico, que fatalmente nos levaria a um ponto de singularidade no ano de 2025 (a população do planeta Terra seria infinita), cedeu antes do início da década de 1970. É fato.

Hoje, problemas como a super-população do planeta e o esgotamento dos recursos naturais não passam de mitos propalados aos quatro ventos por aqueles interessados em alimentar os conflitos e a acumulação desmesurada de recursos, que são reminiscências do instinto animal de sobrevivência – aquela estorinha da cigarra e da formiga que ensinaram para você na escola.

A grande questão dos nossos dias é: Como garantirmos que os recursos naturais cheguem a todos os habitantes do nosso planeta – sejam estes materiais ou intelectuais (e ainda aqueles transcendentes)?

É sabido que os raios ocorrem numa frequência média de 44 vezes por segundo na superfície da Terra. Isso representa um total de quase 1.4 bilhões de relâmpagos por ano!

Os ferimentos por raios causam danos sérios no ser humano. Oitenta por cento das pessoas que sobrevivem à queda de um raio apresentam ferimento de longo prazo, muita vez irreversível. Entretanto, a taxa de mortalidade dos seres humanos atingidos por raios é de apenas 10%.

Uma boa estimativa é a de que 240 mil pessoas são atingidas por raios em todo o planeta a cada ano, sendo que destas, 24 mil pessoas chegam ao óbito.

Roy Sullivan tem uma anotação do Livro Guinness dos Recordes pela sua sobrevivência mesmo após ter sido atingido por, nada mais, nada menos, que sete raios ao longo de 35 anos. Depois que sua fama se espalhou, Roy Sullivan era evitado pelas pessoas com medo de que, na companhia dele, um raio as atingisse. Ele morreu no ano de 1983, aos 71 anos de idade, por problemas psicológicos causados por um amor não correspondido.

A verdade é que a chance de um habitante desse nosso planeta vir a ser atingido por um raio ao longo de 35 anos de vida e sobreviver a este é de apenas uma em 965.6 – (240000-24000)x35/7.3 bilhões.

Entretanto, a probabilidade de ocorrer o que aconteceu a Roy Sullivan é de apenas um em 783,000,000,000,000,000,000 dos casos (965.6 elevado a sétima potência). E este número é 7.3 bilhões de vezes maior do que os 107 bilhões de seres humanos que habitaram o planeta Terra ao longo de toda a sua existência. (Observe que 7.3 bilhões é também o número de habitantes atuais da Terra). E, coincidências a parte, Roy Sullivan era realmente um afortunado em raios!

O que eu quero dizer com isso é que cada um de nós tem o dever de fazer brilhar a sua luz interior, lutar pelas suas ideias, pelos seus sonhos porque é evidente que cada ser humano é único, singular.

         

E isso deve ser feito agora. Antes que um raio te parta ao meio!

“E me perdoe se eu insisto nesse tema

Mas não sei fazer poema ou canção

Que fale de outra coisa que não seja o amor”

         

“Se o quadradismo dos meus versos

Vai de encontro aos intelectos

Que não usam o coração como expressão”

– Antonio Carlos & Jocafi

sex in a drive thru

novembro 30, 2014

jorge_xerxes_drive_thru

o amor é a parte exposta da fratura

ela dói até a alma

para mostrar que tem dentro

um osso

nada corrói coisa dessa

acetona de unha é refresco

borbulhante

se o catchup é teu sangue

vermelho, pulsante, vivo

até o picante da mostarda

(qu)e com maionese

eu te (a)d(ev)oro

Lua e Terra

outubro 16, 2014

lua_e_terra

A Terra e a Lua são os corpos celestes mais próximos de nós mesmos.

Muito se especula sobre a formação destes astros.

Existem inclusive teorias contraditórias.

Ainda assim um grande número de cosmologistas dedicou

(e outros tantos dedicarão)

a melhor parte dos seus dias

a desvelarem destes mistérios da natureza.

Certo é que a Lua e a Terra interagem entre si em diversos sentidos.

E apesar de seus comportamentos distintos,

compõem no céu uma dança,

espécie de bailado sagrado

através do qual, sem sombra de dúvida,

agregam propriedades que os fortelecem.

Graças à Terra nossa lua é a Lua;

e graças à Lua este planeta é a Terra

– tal e qual as conhecemos.

Considerando o tempo de vida médio do ser humano,

as causas que levaram estes corpos celestes à composição

na qual eles nos apresentam

tornam-se pouco,

talvez até irrelevantes.

Sensibiliza-me mais a suavidade,

a poesia,

a cumplicidade dos movimentos.

Quero amar-te como a Lua e a Terra se dão.

Viveremos os dias,

sonharemos as noites,

a fluidez de cada revolução.