Finitude

fevereiro 15, 2017

finitude_jorge_xerxes

um dia a mais

um dia a menos

em cada compartimento

na ampulheta do tempo

As estrelas

janeiro 23, 2017

as_estrelas

alguns acontecimentos

parecem não ser

obra do acaso

         

rastreando bem

a cauda de um cometa

é como se tivesse raiz

ancorada noutro tempo

(subjacente)

viaja pelo agora

para reequilibrar as estrelas

            

             

r34l1d4d3 v1r7u4l

maio 31, 2016

Se amanhã fosse anteontem, ontem seria depois de amanhã.

Se depois de amanhã fosse ontem, anteontem seria amanhã.

Pense nisso.

A vida passa rápido: Aproveite!!

realidade_virtual_jorge_xerxes

JX, na data de sempre.

Não há vagas

maio 16, 2014

nao_ha_vagas_jorge_xerxes

Há uma noção equivocada de que o tempo passa. Quando, em verdade, ele não passa de elemento rítmico a compassar os eventos. Daí os batimentos cardíacos, a inspiração e a expiração. Acrescente-se a estes os ciclos lunares, a rotação da Terra – os dias e as noites – e a translação desta nossa pedra celeste ao redor do Sol. Estes são eventos que fluem. Não é o tempo que escorre, é a vida que passa através dele. Nestes nossos dias não há vagas. O tempo é justo, exato e não há de sobra. Cada criatura é responsável por sua própria história.

Ad aeternum

março 11, 2014

The_Persistence_of_Memory_1931_Salvador_Dali_7873

Este senhor reduzir-nos-á

cada um de nós ao seu

tempo.

Ele também decairá às voltas

dos ponteiros dum relógio.

Apesar disso sobrexiste:

sua essência mutante,

elemento transcendente

do agora.

G-T-T-C-A-C-A-G

Tic-tac-tic-…

Somos genealogia

a observar de velho

o passado.

“The Persistence of Memory” is a 1931 painting by artist Salvador Dalí, and is one of his most recognizable works.