um dia, em minhas andanças,
eu estive no lado negro da Lua
e fiquei encantado com o que vi
a paisagem é esplêndida e iluminada pelo Sol
mas não é possível avistar a Terra
as matas lunares são de um verde exuberante
e pássaros lunares produzem melodias celestiais
ainda mais incríveis são os mares da Lua
Você pode não acreditar, mas escrevi isso,
botei dentro de uma garrafa
e arremessei ao mar
quando encontrar essa mensagem Você saberá
porque pôde enxergar a si mesma
através dos meus olhos
assim como pude enxergar a mim mesmo
através dos olhos teus
e, agora, a Lua nos pertence por inteira
desvendamos os segredos de Nós mesmos
abraçamos a Via Láctea
a partir de nossos Corações

            

um funk

maio 26, 2019


a vida é um desenrolar e enrolar de línguas

coisa sobre a qual não se fala

sobretudo se o matuto está ao sol

e toma um vinho

a vida é cada um dos ponteiros do relógio

e o que você faz dela

enquanto não está atento a estes

pode ser o pior erro do rato

virar e fitar o gato

a poucos bigodes de vida

se você presta atenção ao sol

então daí acabou-se o vinho

torna a atenção para a poesia

antes que se acabe

ou se transforme num funk

em são joão da boa vista

 

 

a poesia das notas

agosto 18, 2018

   

se a civilização parece Ré troceder

e o quotidiano dos dias uma Fá bula

não é preciso ter Dó

lembra que o Sol ilumina a todos

cuida de Si

que eu cuido de Mi

e um dia a gente se encontra

   

música e arranjo :: Bino

iniciativa :: Luiz Neto

O presente estudo apresenta dezesseis mandalas circulares. O objetivo é puramente estético e sensorial.

 

Estas mandalas são subdivididas em dois conjuntos, sendo oito mandalas Solares e oito mandalas Lunares.

 

As mandalas de um conjunto (Solar ou Lunar) são apresentadas na progressão aritmética dos números primos de círculos que compõe cada uma delas (2, 3, 5, 7, 11, 13 e 17). É apresentado também, inicialmente a cada um dos conjuntos, o símbolo gerador, não-dual, de um único círculo.

 

Como o objetivo não é matemático (e também para não desviar o foco dos aspectos estético e sensorial), o arranjo angular para a disposição dos círculos não é explícito. Entretanto, estas equações podem ser facilmente deduzidas por um observador com conhecimentos básicos da geometria analítica. Este arranjo angular é o que aufere o caráter particularmente harmonioso dos símbolos.

 

Finalmente, observa-se que a progressão das mandalas Solares transmite a nítida sensação de movimento e de ampliação da forma circular (bidimensional) para a forma de um toro (tridimensional) saltando para fora do plano; isto é, pelo acréscimo de uma nova dimensão do espaço.

 

A progressão das mandalas Lunares, por sua vez, remete a ideia de repouso e de concentração da forma circular original, rumando para o centro, o ponto (adimensional), como se levasse à redução de ambas as dimensões do espaço.

 

Na verdade, como a única diferença entre os dois conjuntos de mandalas é a dualidade expressa pelo par de opostos luz e sombra, ambas as percepções estéticas são válidas e ocorrem concomitantemente. Isso reforça a ideia de que com o aumento da freqüência de vibração (maior movimento) é ampliada a capacidade de concentração; ou seja, aquela da percepção consciente.

 

Mandalas Solares (1, 2, 3, 5, 7, 11, 13 e 17; luz)

 

Mandalas Lunares (1, 2, 3, 5, 7, 11, 13 e 17; sombra)

Em planta

abril 11, 2018

através dos ventos solares

a luz da lua refletida

concentrada em gotas de orvalho

logo, logo(s)

brotará da terra

a semente

só o amor (r)existe

(e) terna mente

 

Eu Te Amo C.Q.D.

dezembro 11, 2015

cqd_jorge_xerxes

enquanto eu aguardo

o meu Coração bate devagar

ao ritmo da espera

a estante da sala

repleta de livros

explica-me de muitas diferentes formas

por diversos pontos de vista

e argumentos obtusos

que a vida é dura

e você vai demorar a chegar

porque deve ser assim

e ponto

nenhuma dessas respostas

no entanto

me satisfazem

e eu não desisto de buscar

a solução positiva

(porque eu Amo)

aquela que justifica o equilíbrio deste mundo

com as estrelas no céu

a órbita da Lua e aquela do Sol

o que eu posso demonstrar

por um mosaico de sístoles e diástoles

que eu compus no decorrer dos anos

a cada noite

encerrado comigo mesmo

apenas