Nas trilhas da Mantiqueira

julho 10, 2013

jorge_xerxes_macaquitos /\ não siga-me /\ a senda é longa /\ e o banco do carona leva ao devaneio /\ dos meus remoinhos /\ eu bem sei /\ a sanidade não é digna de respeito /\ valei-me Pai /\ daquela ladainha /\ se sou filho do pecado /\ então toma esse fardo teu /\ em frangalhos e a tua semelhança /\ homem, mulher, criança /\ escolhe do universo inteiro /\ girafa, macaco, rinoceronte /\ não há pescoço que aguente /\ tão dura e pesada cabeça /\ é descabida a ignorância /\ ocupar a mente nos animais /\ desacredito da ciência /\ do governo e da televisão /\ explica o que eu tenho de fazer /\ mas não ouve se eu não disse que vi /\ para concluir depois eu mesmo que não /\ nem busca resposta imediata /\ na ponta da língua /\ decorada /\ sem a necessária reflexão /\ não valeria a pena /\ do alto exercício da profissão /\ de um Deus /\ deixá-los imperfeitos /\ sem pistas sob um céu de estrelas /\ qual migalhas espalhadas de miolo do pão /\ não as abandona amanhecidas /\ pois /\ traiçoeiras as pegadas /\ do demônio de plantão /\ segue só a trilha /\ os pulmões preenchidos de sereno /\ no momento certo /\ coragem /\ faz bater forte /\ um coração /\

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: