Prece ao Vento

dezembro 13, 2012

jorge_xerxes_prece_ao_vento

A infalibilidade além dos meus domínios

Alguma coisa sobre a decrepitude

O erro e a fraqueza humanos

Fosso onde hei de habitar

Por detrás do manto de sisudo esquecimento

Sem espaço para a dúvida irresoluta

As tentativas vãs

Ou o acaso fortuito

Desaparecerei sem restar sombra

Quando o sol se for

Na penumbra dos dias

Entre devaneios e sonhos bestas

Carregarei o vazio imenso

Este sim o meu legado

Livre e leve ao vagar

Rastejarei, caminharei, correrei

Andarei e arrastar-me-ei novamente

Por tão pouco

Sina de criatura amorfa

Semeadora de morte

Às valas de pretenso cultivo

Os órgãos despedaçados por ilusões tolas

Vento da manhã

Peço apenas que lance ao mar minhas cinzas

Esse devorador de intenções salobras

Sejam elas boas ou más

Que eu possa ao menos

Descansar em paz

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: