Meu cavalo contra a distância

agosto 3, 2009

como a lua afaga a alvorada do novo dia

como o sol beija o crepúsculo da noite

que há por vir

minha pobre alma abençoa o cavalo branco alado

percorre a distância imensa que nos separa

em pensamento

no plano imaginário do místico, do simbólico, do alquímico

não existe esta restrição humana mesquinha

e na intenção de um coração puro

não habita a distância, nem o tempo

mesmo velho eu sou menino

é você menina quem beija minha fronte

os nossos corpos se fundem contentes

de uma só alegria, tão calma, que sequer existimos depois

resta o orvalho da manhã que é lágrima calada

resta o arco-íris da tarde que é sorriso de todo o céu

dentre todas as cores

você é a mais linda

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: